Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando agora: Carregando...
670px-Be-a-DJ-Step-1
No comando: Madrugada de Louvor

Das 00:00 as 08:00

alex - Copia
No comando: Sucessos da manhã

Das 08:00 as 12:00

programa_sementesdafe1
No comando: Sementes da fé

Das 12:00 as 13:00

autodj
No comando: Almoçando com música

Das 12:00 as 14:00

alex - Copia
No comando: A tarde é nossa

Das 13:00 as 17:00

autodj
No comando: Music Server

Das 17:00 as 19:00

prog_batebola
No comando: Bate bola

Das 18:20 as 19:20

culto ao vivo
No comando: Culto Ao Vivo

Das 19:00 as 21:00

alex - Copia
No comando: Noite de Sucessos

Das 20:00 as 23:00

Boleto vencido pode ser quitado em qualquer banco

Compartilhe:
como-pagar-boleto-vencido

Agora os boletos vencidos poderão ser pagos em qualquer banco. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) começa a adotar, de forma escalonada, uma plataforma de cobrança que permite a quitação de boletos em atraso em qualquer agência bancária.

Por enquanto, a novidade só estará disponível para os boletos de valor igual ou superior a R$ 50 mil. O valor mínimo será reduzido para R$ 2 mil em 11 de setembro, R$ 500 em 9 de outubro e R$ 200 em 13 de novembro. A partir de 11 de dezembro, boletos vencidos de todos os valores passarão a ser aceitos em qualquer banco.

A nova plataforma de cobrança permitirá a identificação do Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) do pagador, o que facilitará o rastreamento de pagamentos. Ao quitar o boleto, o próprio sistema verificará as informações. Se os dados do boleto coincidirem com os da plataforma, a operação é validada. Caso haja divergência nas informações, o pagamento só poderá ser feito no banco de origem da operação.

Conforme as datas de adoção da nova plataforma e as faixas de valores, os bancos deixarão de aceitar boletos sem o CPF ou o CNPJ do pagador. Os clientes sem esses dados serão contatados pelos bancos para refazerem os boletos.

De acordo com a Febraban, o atual sistema de cobrança funciona há mais de 20 anos e precisava ser atualizado. A previsão inicial era que o novo sistema entrasse em vigor em março para valores acima de R$ 50 mil, mas teve que ser adiada para este mês. Segundo a Febraban, o adiamento foi necessário para garantir a alimentação da plataforma de cobrança por todas as instituições financeiras.

De acordo com a Febraban, a mudança não atinge pagamento de tributos. “Não haverá mudanças em faturas de concessionárias de serviços públicos e em cobranças de tributos pois, em geral, esses pagamentos são feitos por outros tipos de documento, e não por boletos de pagamento”.

Fonte: Agência Brasil

Deixe seu comentário:

VÍDEO SUGERIDO

Próximos Eventos

+ Blog